16 sintomas de imunidade baixa

16 sintomas de imunidade baixa

O sistema imunológico é uma sofisticada rede de elementos que preservam a integridade do organismo contra agressões externas. O seu correto funcionamento e equilíbrio são essenciais para evitar uma grande variedade de distúrbios. No entanto, nem sempre todos os integrantes desse sistema funcionam adequadamente e isso provoca os chamados distúrbios imunológicos. O enfraquecimento do sistema imune permite que infecções e outros problemas de saúde ocorram mais facilmente, por isso é muito importante identificar os sinais de que a imunidade está comprometida. Descubra a seguir 16 sintomas de imunidade baixa para ficar atento!

Índice
  • 16 sintomas da imunidade baixa
  • Imunidade alta tem sintomas?

 

16 sintomas da imunidade baixa

O sistema imunológico é composto por células, tecidos e órgãos especiais que trabalham em conjunto para proteger o organismo. Quando um ou mais elementos desse sistema estão alterados, podem surgir os mais variados tipos de sintomas. Até o momento, pesquisas já identificaram mais de 300 formas de distúrbios primários de imunodeficiência e, algumas formas são tão leves que podem passar despercebidas. Há 16 possíveis sintomas de uma imunidade comprometida os quais você deve se manter atento:

1. resfriados frequentes

Um dos sinais mais comuns da imunodeficiência primária é estar frequentemente resfriado ou gripado, com nariz congestionado, espirrando e tossindo. O sistema imunológico deve ser capaz de lidar com mudanças de temperatura, com vírus comuns e outras ameaças triviais e, os resfriados frequentes são um indício de que a imunidade pode estar enfraquecida e por isso não está conseguindo lidar com ameaças comuns.

2. constipação

A constipação diz respeito à motilidade intestinal e, estudos mostram que o sistema nervoso central (SNC) é o principal regulador da motilidade do intestino. Mas, simultaneamente, o sistema imunológico, as secreções intestinais, a microbiota gastrointestinal e os produtos da fermentação interagem modulando a motilidade intestinal junto com o SNC. Portanto quando há algo errado no sistema imune, pode haver alterações da motilidade intestinal e isso se expressa por meio da constipação. Nesse contexto, também existem evidências sobre uma relação causal entre a imunidade,  inflamação da mucosa intestinal e funções peristálticas alteradas que resultam na constipação. Se você está frequentemente constipado sem uma razão clara para isso, pode ser um indício que a sua imunidade está enfraquecida.

3. mãos frequentemente geladas e calafrios

Quando o corpo está se preparando para combater uma infecção, algumas pessoas experimentam uma sensação gelada e arrepiante no corpo todo. São os famosos calafrios. Isso ocorre porque à medida que o organismo “monta” uma resposta à infecção, os músculos se contraem e relaxam para criar calor. O corpo treme e as mãos ficam geladas. Sentir isso com frequência é um sinal de imunidade baixa, pois o corpo está constantemente se preparando de modo exagerado a qualquer ameaça.

4. problemas de cicatrização

A cicatrização de feridas é um processo bem coordenado que tem como objetivo a restauração da barreira epitelial. Uma variedade de estudos demonstram que esse processo é regulado por uma variedade de células, incluindo as células imunes. Ao gerar uma resposta eficiente para eliminar os patógenos, os mecanismos de defesa devem habilmente evitar danificar os tecidos próprios, permitindo a cicatrização adequada da ferida. Por isso, para uma cicatrização bem-sucedida é necessário um delicado equilíbrio de todos os elementos envolvidos no processo de cicatrização e se há algum distúrbio imunológico a cicatrização será difícil.

5. infecções frequentes

Pessoas com imunidade baixa experimentam as mesmas infecções que as pessoas com boa imunidade. A diferença é que essas infecções ocorrem com mais frequência, geralmente são mais graves e têm maior risco de complicações quando o sistema imune está enfraquecido. Sendo assim, sucessivas infecções de ouvido, sinusite, pneumonia, bronquite, etc, são sintomas claros de uma imunidade baixa.

6. altos níveis de estresse

A imunidade baixa e o estresse são dois processos que se retroalimentam. Viver sob constante estado de estresse compromete a imunidade e o cérebro também não consegue lidar com os agentes estressores do ambiente quando há algo errado com o sistema imune. Estudos já mostraram que o fio condutor entre os dois é a mobilização e o redirecionamento de energia necessários para combater os agressores externos. Sabe-se que as alterações imunológicas associadas ao estresse foram adaptadas das alterações imunológicas em resposta à infecção. Quanto mais um estado de estresse se torna crônico, mais componentes do sistema imunológico são afetados de maneiras potencialmente prejudiciais.

7. fadiga crônica

Sentir-se cansado o tempo todo mesmo depois de uma boa noite de sono não é normal. A fadiga crônica pode ser um sinal de que a imunidade está baixa. Estudos mostram que a ativação constante do sistema imunológico e outras desregulações podem causar essa sensação de estar o tempo todo sem energia. Uma revisão relatou que a fadiga moderada a grave está presente em 50 a 70% dos casos em doenças inflamatórias imunomediadas e, as evidências sugerem fortemente que a patogênese da fadiga crônica provavelmente inclui um componente imunológico característico em boa parte dos pacientes.

8. erupções cutâneas

Segundo estudos, a pele pode estar envolvida em uma variedade de reações do sistema imunológico, muitas das quais causam erupções cutâneas. Frequentemente certas erupções na pele estão relacionadas a distúrbios do sistema imunológico ou a reações de hipersensibilidade. Sabe-se que as  células imunológicas da pele também produzem erupções quando reagem a microorganismos invasores e, quando essa resposta está enfraquecida, erupções e manchas podem ocorrer.

9. queda de cabelo

Cada fase do ciclo capilar é comandada por mecanismos complexos. Esses mecanismos reúnem uma série de cascatas de sinalização empregadas não apenas por componentes do próprio folículo capilar, mas também por células imunes, fibroblastos dérmicos e adipócitos da pele. Seguidamente a queda de cabelo é observada como um dos sintomas de distúrbios imunológicos, especialmente em casos de doenças autoimunes como a alopecia areata. Estudos indicam que a causa da alopecia areata se deve em parte ao enfraquecimento da resposta imunológica no folículo piloso. Sendo assim, por vezes a queda dos fios está intimamente conectada a uma imunidade comprometida.

10. dor nos ossos e nas articulações

O sistema imunológico e o metabolismo ósseo influenciam um ao outro. Segundo estudos, um desequilíbrio no sistema imunológico pode induzir um desequilíbrio na renovação óssea levando a várias condições patológicas, incluindo osteoporose. Por isso, tratamentos direcionados ao sistema imunológico além de coordenar as anormalidades imunológicas, podem também vir a regular desequilíbrios do metabolismo ósseo.

Quanto às articulações, sabe-se que a presença de problemas articulares geralmente ocorrem quando há alguma anormalidade imunológica, como é o caso da artrite reumatóide. A artrite reumatóide é uma doença autoimune representativa decorrente de distúrbios imunológicos, inflamação sinovial e destruição óssea cartilaginosa.

11. formigamento frequente nos pés ou nas mãos

Fraqueza e formigamento frequente nos pés ou nas mãos geralmente são os primeiros sintomas da síndrome de Guillain-Barré, um distúrbio raro no qual o sistema imunológico ataca os nervos. As Diretrizes internacionais afirmam que essa síndrome é causada por um problema no mecanismo de defesa natural do corpo contra doenças e infecções.

Normalmente, o sistema imunológico ataca todos os patógenos que entram no organismo, mas em pessoas com a síndrome de Guillain-Barré, algo nesse processo dá errado e o sistema imune danifica erroneamente os nervos das extremidades. Isso ocorre geralmente após uma infecção das vias respiratórias ou do sistema digestivo, portanto é fundamental manter o sistema imunológico forte para não ser acometido por infecções evitando que o formigamento da síndrome se manifeste.

12. diarreia frequente

Complicações gastrointestinais estão diretamente conectadas com distúrbios imunológicos. Um estudo mostrou que crianças que vivem em favelas estão mais desnutridas, têm taxas mais baixas de imunização (vacinação contra sarampo e suplementação de vitamina A) e por isso são mais suscetíveis a doenças diarreicas. Essa maior vulnerabilidade a patógenos que causam diarréia se dá pelo sistema imune fraco, portanto a diarréia é um dos possíveis sintomas de uma imunidade baixa.

13. inflamação

A resposta inflamatória é um processo pelo qual o sistema imunológico reconhece e remove estímulos nocivos e inicia o processo de cura. Sendo assim, a inflamação faz parte do mecanismo de defesa do organismo e precisamos dela para nos proteger. No entanto, precisamos da inflamação aguda e não da crônica.

A inflamação crônica pode durar anos e os seus efeitos variam de acordo com a causa da lesão e a capacidade do corpo de reparar e superar o dano. Pesquisas mostram que estar com o organismo cronicamente inflamado gera falhas na eliminação de organismos infecciosos como bactérias, protozoários, fungos e outros parasitas que podem resistir às defesas do corpo e permanecer no tecido por longos períodos. Portanto, um organismo inflamado é um sinal de imunidade comprometida.

14. perda de peso inexplicável

Ver os números na balança descerem sem nenhuma explicação pode ser um sinal de problemas no sistema imunológico. Há uma variedade de doenças autoimunes que podem causar perda de peso inexplicável. O principal mecanismo das doenças autoimunes é o ataque do sistema imunológico aos seus próprios órgãos, tecidos e células. Os sintomas dessas doenças podem ser diversos, mas há um sinal que boa parte das doenças autoimunes compartilham: alterações de peso. Por isso, se você perdeu peso ou até mesmo ganhou peso expressivamente sem uma razão clara para isso, verifique se não há algum distúrbio autoimune presente.

15. manchas na pele

A pele possui uma complexa rede de células imunes residentes no tecido que são cruciais para a defesa do organismo. A reconstrução do tecido (cicatrização) é um dos mecanismos mais importantes de defesa da pele e quando há algum distúrbio imunológico presente, essa cicatrização pode não ser eficiente causando manchas na pele. Alguns estudos expressam que a desregulação das respostas imunes muitas vezes levam à cicatrização prejudicada e à deficiência na restauração e função dos tecidos. Consequentemente, manchas na pele podem surgir como um sinal de problemas de imunidade.

16. dor de cabeça frequente ou enxaqueca

Quem não conhece alguém que está sempre com dor de cabeça? Várias linhas de evidência apoiam o papel do sistema imunológico na patogênese da cefaléia, especialmente da enxaqueca. Eventos imunológicos podem estar envolvidos na fisiopatologia de todos os tipos de dor de cabeça, desde as mais fracas até as mais doloridas. Pesquisas mostram também que em muitas doenças autoimunes, a prevalência de cefaléia é maior do que na população geral, portanto a dor de cabeça pode ser um fator de risco ou uma manifestação clínica de problemas de imunidade.

Imunidade alta tem sintomas?

O corpo frequentemente mostra sinais de que o sistema imunológico está funcionando bem. Um exemplo é quando um mosquito pica a pele e em poucos minutos surge coceira, inchaço e vermelhidão no local da picada. Esse é um sinal de que o sistema imunológico está em ação. Ou, quando o corpo se recupera rapidamente de uma gripe ou resfriado, é um sinal de que o sistema imune foi capaz de eliminar o invasor e reagir em sua defesa.

No entanto, quando falamos em imunidade, a busca deve ser por mantê-la em equilíbrio. Um sistema imune que reage com muita força é tão prejudicial e perigoso quanto um sistema imune que não reage. Em geral, um sistema imunológico hiperativo pode desencadear diversos distúrbios autoimunes. Em função das respostas imunológicas exageradas, o corpo não consegue diferenciar células normais e saudáveis ​​​​de invasores. Em outras palavras, o sistema imunológico se volta contra o próprio organismo. Pesquisas mostram que as doenças autoimunes representam uma família de pelo menos 80 doenças que compartilham uma patogênese comum: um ataque imunomediado aos próprios órgãos do corpo. Entre elas estão a artrite reumatóide, lúpus, doença celíaca, hipertireoidismo, hipotireodismo, etc.

Gostou?

Se a imunidade está baixa, o corpo vai mostrar sinais disso. Se a imunidade estiver muito alta, o corpo também vai manifestar isso por meio de sintomas. A busca pela manutenção do equilíbrio do sistema imunológico deve ser constante e a resposta está nos hábitos de vida, na alimentação e em como você cuida da sua saúde. Manter-se sempre atento aos sinais que o corpo dá é fundamental!

Para isso, a Ocean Drop lançou o Immunity Guard, um suplemento para imunidade com vitaminas e minerais para manter a defesa do seu corpo sempre em alta.

Referências

Conteúdo escrito por Rafaela Galvão, publicitária pela ESPM-SUL e estudante do 7˚ semestre de nutrição na Unisul. Desenvolve projetos de comunicação e produção de conteúdo para a área da saúde desde 2016.

Ficou com dúvida?

Tire suas dúvidas que iremos responder o mais rápido possível