a importância de reposição de ferro: mulher cansada

Você sabe quando é necessário fazer reposição de ferro? Esse mineral é essencial para a vida e sua principal função é fabricar as hemácias, também chamadas de glóbulos vermelhos, e transportar oxigênio para todas as células.

A falta do mineral no organismo pode resultar em anemia por deficiência de ferro, que é a mais comum das anemias. Ela pode acometer pessoas de qualquer sexo e idade, mas é mais comum em alguns grupos, como gestantes e crianças.

A causa da anemia ferropriva é variável, podendo ser por carência de alguns nutrientes, perdas expressivas de sangue, ou como consequência de menstruações abundantes no caso de mulheres, por exemplo.

Os sintomas da anemia incluem fadiga, perda de resistência, fraqueza e palidez. Além disso, a síndrome das pernas inquietas (SPI), que é um impulso desagradável de mover os membros durante períodos de inatividade, é comum também.

Muitas vezes, é preciso corrigir a alimentação e realizar a reposição de ferro para obter-se melhora ou prevenir complicações. Para saber mais sobre o assunto, fique ligado no conteúdo que escrevemos. Aqui você aprenderá mais sobre:

  • Como diagnosticar a anemia por deficiência ferro?
  • Quais alimentos são ricos em ferro?
  • Como saber se devo fazer reposição de ferro?
  • Como prevenir a anemia por deficiência ferro?

Como diagnosticar a anemia por deficiência ferro?

Mesmo que você tenha alguns sintomas comuns da anemia por deficiência de ferro, é necessário consultar um médico ou um nutricionista para realizar determinados exames laboratoriais e confirmar o diagnóstico.

Como já citado, sinais, como fadiga generalizada, menor disposição, palidez, incluindo pele e mucosas (parte interna do olho, gengivas e palma das mãos), e a síndrome das pernas inquietas (SPI), são característicos.

Além disso, a falta de apetite, resultando em perda de peso considerável, e a dificuldade de aprendizagem e concentração, são considerados também exemplos de sintomas.

É preciso descobrir a origem do problema para realizar o adequado tratamento – e isso também é feito com o auxílio de um profissional capacitado e exames, que podem ser de sangue ou de fezes, por exemplo.

Ainda, o levantamento da história clínica e dos hábitos alimentares do paciente ajuda a encontrar a causa, para então, propor-se as devidas mudanças e correções. Veja a seguir quais são os alimentos que contém ferro.

infogrático: sintomas da anemia ferropriva para a reposição de ferro

Quais alimentos são ricos em ferro?

Dois tipos de ferro são fornecidos pela alimentação: o ferro heme e o ferro não-heme. O primeiro está presente em alimentos de origem animal, e o segundo também é encontrado nos cereais e nos vegetais.

O ferro heme é melhor aproveitado pelo organismo, visto que a absorção é maior, e tem como fontes principais as carnes vermelhas, carnes de aves e de peixes e os mariscos crus.

Entre os alimentos de origem vegetal com ferro não-heme, destacam-se os folhosos verde-escuros, as leguminosas, os grãos integrais ou enriquecidos, as nozes, as castanhas, o melado de cana-de-açúcar, entre outros.

A presença da vitamina C, disponível, por exemplo, em frutas cítricas, como na laranja e no limão, e os alimentos ricos em proteínas, melhoram a absorção do mineral proveniente de produtos vegetais.

Uma outra opção prática e natural para incluir na alimentação, é a spirulina, uma microalga que possui alta concentração de ferro em sua composição, como indicou o estudoNutritional and toxicological aspects of Spirulina (Arthrospira)”.

Também conhecida como alga azul, a spirulina chega a ter até 123 mg do mineral em 100 g, enquanto a couve, por exemplo, costuma ter em torno de 3,6 mg.

No entanto, a chlorella,  outro tipo de alga, pode ser consumida junto para otimizar a absorção do ferro, já que ela possui vitamina C (ácido ascórbico) na composição.

Como saber se devo fazer reposição de ferro?

Fazem parte do grupo de risco para a anemia por deficiência de ferro as mulheres em idade fértil, os idosos, as crianças e os adolescentes em fase de crescimento, assim como indivíduos que passaram por redução de estômago.

Ainda, as necessidades de ferro durante os primeiros anos de vida e durante a gestação são muito elevadas, por isso recomenda-se a adoção de medidas complementares, com o intuito de oferecer ferro de forma preventiva.

Como falado, uma vez constatada a necessidade de prevenir ou tratar a anemia por deficiência de ferro, é importante que você faça o acompanhamento com um médico para realizar o melhor tratamento.

Às vezes, apenas uma dieta rica no nutriente não é suficiente para corrigir o problema, e a reposição de ferro através de medicamentos por via oral, se faz necessária.

Em alguns casos, ainda, é feito o uso de medicamentos por via endovenosa. De fato, só o médico poderá orientar o melhor a fazer, que geralmente deve ser mantido por cerca de 6 meses após a estabilização do quadro.

Como prevenir a anemia por deficiência ferro?

Uma dieta equilibrada e rica em ferro é fundamental para prevenir a anemia por deficiência do mineral e todas as complicações disso.

Além disso, você pode consumir junto os alimentos ricos em vitamina C e as proteínas para ajudar a otimizar a sua absorção.

A Ocean Drop é uma empresa especializada em superalimentos do mar, que oferecem diversos benefícios ao corpo humano.

Nossa Chlorella e Spirulina são 100% vegetais e certificadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), assim como todos os nossos superalimentos.

A Power Box reúne essas duas algas, que agem em sinergia e otimizam os resultados desejados!

Você pode tê-las em sua casa para o tratamento de dois meses, investindo apenas R$ 2,82 ao dia! Incrível, né?!

Para conhecer a linha completa, acesse o nosso site!

Continue acompanhando o Blog da Ocean Drop para ficar por dentro de mais assuntos como este!

Caso tenha ficado com alguma dúvida ou você tenha sugestões, deixe nos comentários! Nossa equipe especializada ficará feliz em ler e ajudar!

Conteúdo escrito por Suelen Costa. Nutricionista graduada pela Universidade Federal de Pelotas e pós-graduanda em Nutrição Funcional.