O que é um Antioxidante? Veja os Benefícios, Tipos e Fontes!

O que é um Antioxidante? Veja os Benefícios, Tipos e Fontes!

Você sabe o que é um antioxidante? Essa molécula tem a capacidade de atuar contra a ação dos radicais livres, impedindo ou remediando a oxidação das células. A principal função dos antioxidantes é de proteger as células para que elas não sejam danificadas e ocasionem danos à saúde ou o envelhecimento precoce.

Principalmente se você se preocupa com o seu bem-estar, já deve ter se deparado, pelo menos alguma vez na vida, com o termo antioxidante. Mas você tem ideia de como essa substância age em nosso organismo?

E o mais importante ainda, você sabia que, com a vida moderna e a grande exposição ao estresse e aos alimentos com aditivos químicos, o nosso corpo necessita cada vez mais de antioxidantes? É por isso que preparamos um guia completo sobre essas incríveis moléculas! Siga lendo e saiba tudo sobre o assunto!

Índice

  • O que são antioxidantes e porque eles são importantes para a saúde?
  • Qual a função dos antioxidantes?
  • Quais são os tipos de antioxidantes e como eles agem no organismo?
  • Alimentos ricos em antioxidantes
  • Recomendação diária de antioxidantes
  • Verdades e mitos sobre os antioxidantes
  • Cosméticos e suplementos com antioxidantes funcionam?

O que são antioxidantes e porque eles são importantes para a saúde?

Antes de saber o que é um antioxidante, é interessante compreender que eles são essenciais para a nossa saúde, pois é por meio dessas moléculas que nosso organismo impede que as células sejam danificadas. Essas substâncias atuam neutralizando os radicais livres, impedindo que eles oxidem as células.

O que são radicais livres?

Os radicais livres são átomos, geralmente de oxigênio, que são liberados no momento em que o alimento é degradado nas células para a produção de energia ou na respiração.

O aumento da produção deles também ocorre por influências externas, como o ato de fumar, excesso de bebida alcoólica, poluição, aditivos químicos, radiação, entre outros.

Infelizmente, os radicais livres estão presentes no dia a dia de todo mundo, especialmente na vida de quem mora na cidade.

Quando os radicais livres estão em excesso no corpo, eles geram um processo de agressão que promove alterações das membranas celulares, modificação do DNA e envelhecimento.

cigarro

Quando a produção não é excessiva, não há problemas, pois o nosso próprio corpo está preparado para eliminá-los. No excesso, parte das células alteradas sobrevivem, se multiplicam e passam a funcionar mal.

Vale ressaltar que, em atletas, os radicais livres são produzidos em maior quantidade. Isso ocorre pela necessidade que os mesmos têm de consumir maior quantidade de oxigênio do organismo.

Visto que os antioxidantes protegem as células de danos na sua estrutura e previnem o envelhecimento precoce e problemas, como doenças cardiovasculares, aterosclerose, câncer, Alzheimer e doenças pulmonares, é indicado que todos as pessoas entendam o que é um antioxidante e os consumam.

Qual a função dos antioxidantes?

São muitas as vantagens de consumir uma boa quantidade de antioxidantes através da alimentação. Veja os principais exemplos das funções dos antioxidantes para a saúde:

  • Ajudam a neutralizar a ação dos radicas livres e prevenir o estresse oxidativo;
  • Oferecem efeitos anti-inflamatórios;
  • Contribuem para manter a saúde da pele e o rejuvenescimento das células;
  • Auxiliam na proteção da pele contra o dano solar;
  • Contribuem para prevenção de doenças cardíacas.

Quais são os tipos de antioxidantes e como eles agem no organismo?

Vitaminas, minerais e compostos bioativos presentes nos alimentos podem desempenhar ação antioxidante. Eles estão disponíveis para consumo de diversas formas. Veja abaixo:

Glutationa

Você já sabe o que é glutationa e para que ela serve? A glutationa é considerada o antioxidante mais poderoso produzido pelo organismo! O que faz dela ser tão especial é que ela tem a capacidade única de potencializar a ação de outros antioxidantes, como vitaminas C e E, coenzima Q10 e ácido alfalipóico.

Brócolis, couve de Bruxelas, repolho, couve-flor, abacate, pêssegos, melancia e canela são exemplos de alimentos precursores de glutationa, ou seja, que servem de matéria prima para sua produção.

Betacaroteno

O betacaroteno age como antioxidante, auxiliando na proteção das células contra a ação dos radicais livres e na manutenção da saúde da pele. Além disso, contribui para diminuir o risco de doenças coronarianas, acidente vascular cerebral (AVC) e outros problemas de saúde relacionados à idade.

Está presente em alimentos, como cenoura, manga e espinafre. É necessário para a síntese da vitamina A.

Licopeno

Tem a capacidade de atuar como um composto antioxidante, reduzindo assim, a capacidade de ocasionar danos celulares.

Ainda, ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e a melhorar a sensibilidade à insulina. Você pode encontrar o licopeno, principalmente, no tomate. A melhor forma de consumir tomate para aproveitar o antioxidante, ao contrário de outros vegetais, é cozido.

Vitamina A

É extremamente importante para a pele. O consumo de vitamina A ajuda a manter o tecido firme e as células ativas em bom funcionamento porque atua na formação de colágeno e na renovação celular.

Está disponível em alimentos, como fígado, gema de ovo e óleo de peixe. Entretanto, vale também lembrar daqueles que já sugerimos no item de betacaroteno — que é transformado em vitamina A no organismo.

Vitamina C

É um poderoso antioxidante que combate a ação dos radicais livres. Ela ajuda as células do organismo a crescerem e permanecerem sadias. Velha conhecida, a vitamina C faz parte da composição de frutas cítricas, como laranja e limão. Também é encontrada na microalga Chlorella.

Vitamina E

É conhecida como um antioxidante natural capaz de proteger as células dos efeitos nocivos dos radicais livres. Atua retardando o envelhecimento precoce e ajudando a prevenir contra a aterosclerose.

Para ingerir a vitamina E, busque alimentos, como mamão e abacate, além de oleaginosas, incluindo pistache, castanha-do-Pará, nozes e amêndoas.

Alimentos ricos em antioxidantes

Agora que você sabe o que é um antioxidante e conheceu alguns tipos, veja as fontes que contêm mais dessas substâncias para adicionar à sua alimentação diária:

1. Cúrcuma

Conhecida também como açafrão-da-terra, é fonte de curcumina, um antioxidante que ajuda a proteger contra doenças cardiovasculares, entre outros benefícios. Saiba mais sobre a Cúrcuma aqui!

2. Cacau

Rico em polifenóis, substâncias antioxidantes naturais que contribuem para a saúde do coração e para a circulação. Encontrado em grandes quantidades nos chocolates mais escuros e amargos.

3. Cenoura

Fonte de betacaroteno, a cenoura ajuda na proteção da superfície do olho e no seu funcionamento. Por isso, o consumo regular ajuda a prevenir doenças, como degeneração macular, catarata e cegueira.

4. Chá verde

Fonte de catequinas, importantes antioxidantes, o chá verde auxilia a evitar danos celulares que promovem o desenvolvimento de tumores. O Matchá, da mesma família, oferece ação antioxidante ainda mais potente.

5. Linhaça

Além de ser rica em ômega-3, a linhaça apresenta propriedades antioxidantes que oferecem aquele reforço ao sistema imunológico, diminuindo as chances de doenças em geral.

6. Spirulina

Repleto de vitaminas e minerais, a Spirulina possui muitas propriedades antioxidantes, principalmente por ofertar a ficocianina na composição e também o betacaroteno.

display-superalimentos-ocean-drop-e-bloom-bits

7. Óleo de coco

Rico em vitamina E, atua na diminuição do processo de envelhecimento das células e na proteção de doenças cardiovasculares.

8. Suco de uva integral

Fonte de resveratrol, um poderoso antioxidante presente na casca da uva, age eliminando os radicais livres do organismo, inibindo a oxidação das gorduras e a agregação plaquetária.

9.Frutas vermelhas

Cereja, morango, framboesa e mirtilo possuem protoantocianidina, substância antioxidante que fortalece os vasos sanguíneos e linfáticos, melhorando a circulação.

10. Tomate

Rico em licopeno, um antioxidante da família da vitamina A. Atua na redução do risco de desenvolvimento de câncer de próstata, pulmão e estômago.

11. Alho

Fonte de compostos sulfurados, ajuda a reduzir a pressão arterial e a proteger o coração ao diminuir a taxa de colesterol ruim e aumentar os níveis do colesterol bom, o HDL.

12. Chlorella

É uma das maiores fontes naturais de betacaroteno (precursor da vitamina A). Associado às vitaminas C e E, reduz e neutraliza a ação dos radicais livres que são prejudiciais ao organismo.

13. Astaxantina

“Qual o antioxidante mais poderoso do mundo?” A ciência já elegeu a Astaxantina! Sua ação antioxidante é 10 a 100 vezes mais poderosa do que outras substâncias do mesmo tipo, como betacaroteno e licopeno.

O pigmento consegue atuar na eliminação de radicais livres sem nenhum efeito negativo ou atividade pró-oxidante no organismo. Saiba mais sobre a Astaxantina no vídeo abaixo:

Recomendação diária de antioxidantes

Não há uma dose diária exata de antioxidantes que possam corrigir os danos dos radicais livres e das doenças por eles causados, mas se sabe que consumir alimentos ou suplementos ricos nessas substâncias faz uma enorme diferença na maneira como vivemos e até na longevidade.

display-superalimentos-ocean-drop-e-bloom-bits

Verdades e mitos sobre os antioxidantes

1. Os radicais livres são totalmente vilões

Mito

A oxidação ocorre normalmente em nossos corpos, resultando na produção de radicais livres. Especificamente, esse processo químico é referente à queima de oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos em energia para o funcionamento de todo o organismo.

Em níveis considerados normais, o resultado disso não é prejudicial à saúde. Inclusive, algumas dessas moléculas desempenham funções metabólicas essenciais, atuando no sistema imunológico principalmente.

O óxido nítrico, por exemplo, é um tipo de radical livre conhecido como a “a molécula da saúde”, sendo um importante intermediador de processos intra e extracelulares do corpo. O problema está no excesso, pois, assim, os radicais livres podem se tornar tóxicos ao organismo, ocasionando o chamado estresse oxidativo. 

2. A dieta tem relação com o estresse oxidativo

Verdade

Segundo o artigo, “Estresse oxidativo: conceito, implicações e fatores modulatórios”, publicado na Revista de Nutrição de Campinas, o estresse oxidativo se refere ao “desequilíbrio entre a geração de compostos oxidantes e a atuação dos sistemas de defesa antioxidante.”

Assim como o próprio corpo produz radicais livres naturalmente, hábitos de vida inadequados também podem e acabam causando tal desequilíbrio. A exposição excessiva ao Sol, o estresse constante, o consumo de bebida alcoólica e o fumo são exemplos de fatores estimulantes para a sintetização das moléculas.

Ainda, a dieta, caso indevida, também pode atuar como pró-oxidante, favorecendo assim, o estresse oxidativo. Isso acontece, principalmente, através do consumo de alimentos processados e ultraprocessados que contêm grandes quantidades de açúcar e gordura trans.

Por outro lado, uma alimentação com porções adequadas de vegetais e frutas, oferece compostos bioativos com efeito antioxidante natural, que ajudam a neutralizar a ação dos radicais livres. Conheça 30 Alimentos Ricos em Antioxidantes!

3. Quanto mais exercício físico, menos estresse oxidativo

Mito

Você já deve saber que a atividade física é essencial para a manutenção da saúde e para um envelhecimento saudável, certo?! Os exercícios aeróbicos contribuem para melhorar a capacidade funcional e cardíaca; e os de força, a função muscular, principalmente.

Ainda, os dois tipos auxiliam na melhora da densidade óssea, prevenindo a osteoporose, são protetores ao desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, como a diabetes mellitus tipo 2 e a obesidade, e reduzem o estresse e a ansiedade.

Mas você sabia que, em excesso, os exercícios físicos estão relacionados à formação de radicais livres? Isso acontece em função do aumento do consumo de oxigênio, que promove a formação dessas moléculas, provocando alterações nas estruturas e funções orgânicas dos praticantes de atividades físicas.

É por esse motivo que muitos corredores profissionais tem a pele com aspecto mais envelhecido. Para agravar a situação, a face é o lugar com maior deficiência de oxigênio durante o exercício e, por isso tem maior parte do colágeno destruído, que é responsável pela elasticidade e consistência da pele.

4. O estresse oxidativo está associado ao desenvolvimento de doenças

Verdade

O desequilíbrio entre a produção de radicais livres e a atuação dos sistemas de defesa antioxidantes, está associado ao desenvolvimento de várias doenças. Um dos principais motivos que explica isso é o favorecimento para a geração de inflamação crônica no organismo.

A inflamação crônica é caracterizada por destruir os tecidos, contribuindo para uma série de patologias extremamente graves, como obesidade, artrite reumatoide, os mais diversos tipos de câncer, diabetes mellitus tipo 2, além de males neurológicos.

Um artigo publicado na Revista de Neurociências relatou que determinadas doenças neurodegenerativas têm ligação direta com a atividade de radicais livres, como doença de Alzheimer, doença de Parkinson, doença de Huntington, esquizofrenia, entre outras.

No entanto, é importante ressaltar que o consumo de alimentos com compostos ricos em antioxidantes naturais não servem como remédios. O ideal é manter hábitos de vida saudáveis, incluindo uma alimentação adequada e funcional, para prevenir o surgimento de tais doenças.

5. Existem complementos alimentares ricos em antioxidantes

Verdade

Existem alguns tipos de suplementos no mercado com composições interessantes e ricas em compostos bioativos com funções antioxidantes. Dependendo do tipo, eles oferecem benefícios para a melhora da qualidade da pele, prevenção de doenças e também do envelhecimento.

É preciso ficar atento, pois algumas vitaminas, como a vitamina A, quando consumida em excesso, torna-se pró-oxidante. Isso significa que ela passa a oferecer efeito contrário ao desejado, ou seja, começa a estimular a produção de radicais livres.

Como mencionado, a Astaxantina é um superalimento da família dos carotenoides, extraída da microalga Haematoccocus pluvialis, conhecida como o antioxidante mais potente da natureza! 

Diversos estudos científicos já foram realizados sobre o uso de Astaxantina e relataram, por exemplo, sua capacidade de aumentar a imunidade do organismo, diminuir a fadiga mental e retardar o processo de envelhecimento da pele.

Cosméticos e suplementos com antioxidantes funcionam?

A produção de radicais livres pelo corpo aumenta com a idade, enquanto a de antioxidantes diminui, fazendo com que haja envelhecimento acelerado. Antioxidantes em cosméticos, como vitamina C e E, por exemplo, podem auxiliar no rejuvenescimento.

Um benefício das cápsulas é que os princípios ativos, sejam vitaminas, Astaxantina, resveratrol ou outros, normalmente estão em concentrações adequadas e com melhor biodisponibilidade, portanto são mais bem aproveitados pelo organismo e de fácil consumo.

Indivíduos que não conseguem obter as quantidades recomendadas para sua idade e gênero via alimentação podem necessitar de suplementação, bem como pessoas com necessidades especiais, como diabéticos, cardiopatas ou portadores de doenças degenerativas.

Os suplementos à base de nutrientes antioxidantes podem beneficiar não só pessoas que queiram manter uma pele saudável, mas também quem busca pela prevenção da saúde em geral. É importante ressaltar que o ideal é optar por tomar suplementos com a orientação de um nutricionista.

Gostou do conteúdo?

Incluir suplementos ou alimentos ricos em antioxidantes a sua rotina é essencial nos dias de hoje, pois estamos diariamente em contato com contaminantes, como poluição, aditivos químicos presentes nos alimentos e até radiação.

Encontre a Astaxanina em nosso site!

Quer ficar por dentro de mais artigos e informações? Siga acompanhando o Nosso Blog!

Referências

Ficou com dúvida?

Tire suas dúvidas que iremos responder o mais rápido possível