Existem benefícios de não comer carne? Entenda os principais

Existem benefícios de não comer carne? Entenda os principais

 Consumir mais frutas e vegetais todos sabem que é mais saudável, que contém nutrientes e que traz benefícios para o corpo. Mas retirar a carne das refeições, é a melhor saída? Siga lendo e entenda o impacto que uma dieta vegana ou vegetariana tem na saúde. Além disso, aprenda como aderir um estilo de vida saudável pode aumentar a expectativa de vida e prevenir as principais doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

Índice
  • 10 benefícios de eliminar a carne nas refeições 
  • Quais suplementos e alimentos que devemos ingerir para aproveitar os benefícios?
  • O que acontece no nosso corpo se pararmos de ingerir proteína animal?
  • Quais os benefícios para o meio-ambiente?
  • Você já conhece a Ocean Drop?

 

10 benefícios de eliminar a carne nas refeições

1. Auxilia no emagrecimento

Ganhar ou perder peso ocorre por vários motivos e de diversas formas. Podemos emagrecer perdendo gordura ou massa muscular, por exemplo. A obesidade, por sua vez, é uma doença multifatorial, logo, para o tratamento são necessárias abordagens multidisciplinares.

Foi observado em um estudo prospectivo que indivíduos que seguem uma dieta vegana, normalmente apresentam menor índice de massa corporal.

Um estudo randomizado que comparou o efeito entre cinco tipos de dietas com carnes e sem carnes, verificou que a dieta vegana baseada em plantas foi a que apresentou maior eficácia na perda de peso em adultos com sobrepeso.

Seguir uma dieta vegana plant based equilibrada em nutrientes e rica em fibras pode aumentar a saciedade, diminuir a ingestão geral de calorias e, consequentemente, auxiliar na perda e manutenção do peso.

2. Aumenta o consumo de alimentos funcionais

Ao retirar a carne e aumentar o consumo de vegetais, legumes, frutas, feijões e grãos integrais, você aumentará a presença de vitaminas, minerais e fibras. Sabe o que estará consumindo junto? Os compostos bioativos! Eles são substâncias presentes principalmente nas plantas, que não se enquadram nas classificações de nutrientes essenciais, mas promovem muitos benefícios à saúde.

3. Melhora a microbiota intestinal

A microbiota intestinal é referente à população de microorganismos que vivem no intestino e exercem grandes influências em todo o organismo. Os cientistas estão desbravando cada vez mais os impactos que esses microorganismos causam no nosso corpo, tanto os bons quanto os ruins e como melhorar a saúde através da microbiota.

Um estudo examinou a microbiota intestinal de veganos, vegetarianos e onívoros e descobriu que os veganos tinham níveis menores de microorganismos patogênicos e uma abundância de espécies protetoras. Essa relação dos microorganismos revela uma possível associação entre o alto consumo de fibras e a ausência da carne vermelha na melhora da microbiota intestinal.

4. Diminui fatores de risco para doenças cardiovasculares

De acordo com um estudo, o consumo de carne vermelha está associado a um maior risco de mortalidade causada por doenças cardiovasculares (DCV).

Logo, não consumir carnes e aumentar a ingestão de grãos integrais, vegetais, frutas, legumes e nozes está associado a um menor risco de DCVs. É importante lembrar que as DCVs são multifatoriais e que o estilo de vida e a predisposição hereditária também impactam o risco de desenvolvimento.

Seguir uma dieta vegana aliada com estilo de vida saudável, praticando atividades físicas regulares e não consumindo bebidas alcoólicas e tabaco é a melhor maneira de promover saúde.

5. Redução do colesterol

As dietas à base de plantas e grãos integrais estão associadas à diminuição do colesterol total, LDL e HDL, mas não com a redução dos triglicerídeos.

Um estudo analisou que a proteína de soja e as nozes foram capazes de reduzir o LDL entre 4 e 7% em indivíduos com ou sem hiperlipidemia. Esse efeito ocorreu por conta da maior presença de fibras e também pela estrutura da proteína vegetal, que é rica em arginina, um aminoácido que auxilia na redução do colesterol.

6. Contribui com a prevenção e controle da diabetes

O risco de desenvolver diabetes do tipo 2 está associado ao maior consumo de carne, principalmente vermelha e processada.

Um estudo com mulheres observou que a incidência da diabetes aumentou 9%, consumindo mais 10 g de proteína animal na dieta. Em mulheres obesas, a associação foi maior, chegando a 19% por aumento de 10 g na ingestão de proteína animal.

7. Redução do risco de câncer

Os vegetais e feijões são alimentos complexos formados por nutrientes, fibras e compostos bioativos que são capazes de auxiliar na prevenção do câncer. A Organização Mundial da Saúde classificou as carnes processadas como cancerígenas e a carne vermelha como provável cancerígena.

Consumir 30 g de grãos integrais diariamente reduz o risco de câncer colorretal em 5%, aproximadamente. Já o risco de mortalidade por câncer foi 6% menor a cada 3 porções de grãos integrais diariamente.

8. Interessante para a longevidade

Dietas baixas em carboidratos e com alto teor de proteína animal estão associadas a uma maior mortalidade no geral, tanto em homens quanto em mulheres. Em contrapartida, dietas baixas em carboidratos e com alto teor de proteínas vegetais foram associadas a menores taxas de mortalidade por todas as causas e doenças cardiovasculares.

9. Ganho de massa corporal magra e força

Consumir as necessidades diárias de proteína é muito importante em todas as faixas etárias, mas normalmente os atletas que praticam treinamento de força ou resistência possuem uma maior preocupação.

O efeito na alimentação com proteína hidrolisada do soro do leite, da soja e da caseína foram estudados para ver qual seria o desempenho para a síntese máxima de proteína muscular. Logo após o exercício, o hidrolisado do soro do leite promoveu a síntese máxima de proteína. Contudo, a proteína da soja superou a síntese proteica em comparação a caseína.

A comparação em relação a força também foi feita usando a proteína da soja e as proteínas animais. Entre elas não houve diferenças ou melhorias na força do supino, agachamento ou na composição de massa magra corporal.    

10. Dieta antioxidante e anti-inflamatória

Em uma revisão sistemática sobre os efeitos de uma dieta plant-based, todos os estudos apresentaram uma diminuição significativa no marcador bioquímico da proteína C reativa (PCR).   

O PCR é um marcador muito importante para avaliar o nível de inflamação do indivíduo. Ele é um indicador inflamatório associado à obesidade, síndrome metabólica, infecções, traumas, queimaduras, câncer e alergias.  

A dieta vegana rica em frutas, vegetais, grãos inteiros, leguminosas, nozes e sementes melhorou os fatores de risco à saúde e reduziu a inflamação de maneira mais eficiente que a prática de exercícios físicos.    

Quais suplementos e alimentos que devemos ingerir para aproveitar os benefícios?

Existe benefícios de não comer carne? entenda os principais alimentos

Proteínas: é muito importante suprir as necessidades proteicas diárias. Ao seguir uma dieta vegana ou vegetariana, é preciso estar atento às fontes proteicas vegetais, que são exemplos: feijões, spirulina, chlorella e castanhas. 

Feijões e cereais integrais: consumir leguminosas com cereais no lugar das carnes é essencial para conseguir suprir as necessidades nutricionais. As leguminosas são ricas em proteínas, fibras dietéticas, ferro, zinco, potássio e folato. Além disso, têm baixo teor de gordura saturada e baixo índice glicêmico.

Frutas frescas: as frutas contêm vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo. O consumo recomendado pelas diretrizes é de 5 porções de frutas variadas por dia. Priorize as frutas sazonais e da sua região, se conseguir comprar orgânicas, melhor ainda. 

Faça acompanhamento nutricional ou com médico especialista: é muito importante ter o acompanhamento dos nutrientes por profissionais qualificados. A vitamina B12 deve ser suplementada por todos que não consomem carne ou apresentam deficiência dessa vitamina. Outros micronutrientes também devem ser observados por exames bioquímicos, caso seja necessário. 

O que acontece no nosso corpo se pararmos de ingerir proteína animal?

Ao nascer nós carregamos no DNA características que podem ser fatores de risco e que não conseguimos alterar. Entretanto, diariamente os nossos hábitos e padrões alimentares podem influenciar na predisposição genética.

Principais melhorias ao parar de ingerir proteína animal:

  • aumento da saciedade;
  • melhora o trânsito intestinal;
  • diminui marcadores inflamatórios;
  • reduz o risco associado a doenças crônicas não transmissíveis, como: câncer, dislipidemia, hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome metabólica.

O que acontece no nosso corpo se pararmos de ingerir proteína animal?

Ao nascer, nós carregamos no DNA características que podem ser fatores de risco e que não conseguimos alterar. Entretanto, diariamente os nossos hábitos e padrões alimentares podem influenciar na predisposição genética.

Principais melhorias ao parar de ingerir proteína animal:

  • aumento da saciedade;
  • melhora o trânsito intestinal;
  • diminuição de marcadores inflamatórios;
  • redução do risco associado à doenças crônicas não transmissíveis, como câncer, dislipidemia, hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome metabólica.

E quais os benefícios para o meio-ambiente?

Não comer carne é um posicionamento que beneficia o meio-ambiente. Você sabe porque? A produção de carnes depleta os recursos naturais, sendo um dos maiores responsáveis pelos problemas ambientais, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

Impactos que a produção e consumo de carnes no planeta:

  • 1 kg de carne bovina produzida envolve a emissão de 335 kg de CO2, cerca de 14,5% das emissões de gases produzidos pelas atividades humanas;
  • o consumo de água para produzir 1 dia de refeições para 1 pessoa com carnes e derivados lácteos gasta equivalente à 3.800 l de água;
  • a pecuária é a principal responsável do desmatamento na Amazônia, cerca de 70% da terra desmatada é utilizada como pasto ou para a produção de ração.

Você já conhece a Ocean Drop?

A Ocean Drop é uma empresa vegana especializada em suplementos marinhos, fundada por oceanógrafos apaixonados pelo mar.

Todos os produtos da Ocean Drop são veganos e apresentam qualidade nutricional. Isso quer dizer que, se você é vegano ou adepto de consumir menos carne, poderá suprir suas necessidades nutricionais com segurança

A missão da Ocean Drop, além de nutrir as pessoas, é também salvar os oceanos e toda a vida marinha que está em perigo. A cada produto vendido, 25 g de lixo são retirados dos oceanos.

Até 2050, teremos mais plástico que peixes nos oceanos e, por isso precisamos agir agora!

Referências

Conteúdo escrito por Vitória C. Diehl, cozinheira chef pela univali e estudante do 7˚ semestre de nutrição na unopar. Atua na área de gastronomia desde 2012 e produção de conteúdo para área da saúde desde 2021.

Ficou com dúvida?

Tire suas dúvidas que iremos responder o mais rápido possível