Conheça 6 Ótimas Opções de Suplemento Alimentar para Idosos

Conheça 6 Ótimas Opções de Suplemento Alimentar para Idosos

O uso de suplemento alimentar para idosos pode ser um aliado na melhora da qualidade de vida, devido a todas alterações que ocorrem nas funções orgânicas ao envelhecer.

Com o avanço da idade, é natural que ocorra, por exemplo, aumento de gordura corporal, perda de massa magra e desaceleração do metabolismo.

Além disso, outros fatores interferem diretamente no consumo alimentar, como mudanças no funcionamento digestivo, uso de medicamentos e diminuição da percepção do olfato e do paladar.

Todo esse conjunto contribui para a terceira idade estar no grupo de risco de carência de macro e micronutrientes e serem mais predispostos a desenvolverem doenças.

A seguir separamos uma lista com seis exemplos de suplemento alimentar para idosos, que contribuem para minimizar os mais diversos desafios dessa faixa etária.

6 exemplos de suplemento alimentar para idosos

Muitas vezes, apenas a alimentação não é suficiente para suprir as necessidades nutricionais dos idosos e protegê-los contra doenças e complicações.

Dessa forma, a suplementação entra como solução eficaz devido sua facilidade de consumo e capacidade de absorção pelo organismo.

Mas, lembre-se que cada corpo é único e, por isso, é importante que você consulte o seu médico para orientações individualizadas.

Confira agora algumas opções de suplemento para idosos:

1. Whey Protein

O whey protein é muito conhecido e usado por atletas e praticantes de academia, mas o que muita gente não sabe é que, por uma razão específica, também é indicado para a terceira idade.

A sarcopenia é a perda de massa muscular que ocorre a partir dos 50 anos devido ao processo natural do envelhecimento. Se não controlada, pode prejudicar as atividades do dia a dia.

Dificuldades como subir escada, sentar e levantar do sofá, agachar para pegar um objeto do chão podem ser evitadas com a administração correta de proteína na dieta junto com a realização de exercício físico.

Esse nutriente é fundamental para a construção e manutenção dos músculos e alguns especialistas recomendam aumentar a ingestão nessa fase da vida.

A proteína está presente nas carnes vermelhas e brancas, nos leites e derivados, como queijo e iogurte, e em alguns vegetais, como feijão, lentilha e grão-de-bico.

Uma maneira mais prática de garantir a ingestão ideal é consumi-la por meio do whey protein, que é a proteína do soro do leite em pó. Você pode misturar com água ou outro líquido, por exemplo.

2. Cálcio

Assim como os músculos, a estrutura dos ossos é extremamente importante para uma qualidade de vida satisfatória e independente na terceira idade. O cálcio é um dos minerais que contribui para isso.

O ganho de massa óssea vai geralmente até os 20 anos de idade e a perda inicia a partir dos 40. A carência desse nutriente intensifica a chance do desenvolvimento de osteoporose, problema comum na terceira idade.

Essa é uma doença que enfraquece os ossos e, se não controlada, pode progredir com o envelhecimento e aumentar o risco de fraturas, especialmente no quadril, na costela e no fêmur.

Para evitar esse mal, é recomendado a ingestão de cálcio para mulheres até 50 anos e homens até 70 de 1000 mg/dia. Após essa idade, a quantidade passa para 1200 mg/dia.

Você pode abusar dos alimentos ricos nesse mineral, como o leite, o queijo e a sardinha. Se ainda não for suficiente, a suplementação é uma estratégia para alcançar os níveis diários indicados.

Vale destacar que para a adequada absorção do nutriente, é necessário a presença de vitamina D e magnésio.

O Cálcio de Alga, por exemplo, é composto também por essa vitamina, por isso, é uma boa alternativa de suplemento para idosos. Além disso, estudos mostram que esse produto tem absorção até 30% maior quando comparado às outras fontes de cálcio.

display-superalimentos-ocean-drop-e-bloom-bits

3. Magnésio

Como já mencionado, o magnésio ajuda na absorção de cálcio, sendo importante também na prevenção da osteoporose e na manutenção do bem-estar dos idosos.

Um estudo publicado na acadêmia de Oxford com mulheres na menopausa, que consumiram o mineral por dois anos, evidenciou a prevenção de fraturas e o aumento da densidade óssea de forma significativa.

O magnésio também pode ajudar na regulação do sono e prevenir insônia, outro problema comum nessa idade. 

Já uma pesquisa clínica com indivíduos idosos, que receberam magnésio por oito semanas, observou o aumento significativo no tempo e na eficiência do sono, assim como nos níveis de melatonina.

Por essas razões, o consumo adequado do mineral é indispensável. Ele está presente em alimentos como banana, espinafre, lentilha, abacate e aveia. Uma outra opção de ingestão é por meio do suplemento alimentar para idosos.

O Magnésio Marinho, por exemplo, é proveniente da água filtrada do mar e fonte segura desse mineral e de Vitamina B6.

4. Ômega-3

O ômega 3 é bastante recomendado na terceira idade por apresentar efeito protetor contra o declínio do cérebro, favorecer a memória e prevenir o Alzheimer.

Além disso, esse ácido graxo tem a capacidade de reduzir os níveis elevados de triglicerídeos e pode ser usado como uma suplementação para evitar doenças cardiovasculares — tão comuns em idosos.

À medida que envelhecemos, o sistema imunológico vai perdendo a capacidade de combater novas infecções. Nesse sentido, o ômega 3 apresenta capacidade imunoestimulante e contribui para o bom funcionamento do organismo no geral.

Os alimentos mais conhecidos por conter o nutriente são os de origem animal, como salmão, atum e sardinha. As principais fontes vegetais são as semente de chia e linhaça.

O suplemento para idosos é uma alternativa muito recomendada por suprir as necessidades desse ácido graxo essencial, evitar doenças ligadas à mente, ao coração e ainda fortalecer o sistema imunológico. 

O DHA de alga é uma opção vegana para suplementar ômega 3 e é considerado uma das fontes mais puras, pois é extraído diretamente de uma microalga.

5. Fibras

Ao envelhecer o metabolismo fica mais lento. Consequentemente, o sistema digestivo trabalha com mais dificuldade e o trânsito intestinal é um dos mais prejudicados.

Segundo estudo da Revista Brasileira de Epidemiologia, o consumo de fibras alimentares, que ajudam a regular essa função, tem alta inadequação na população de 60 anos ou mais.A suplementação, portanto, deve receber mais atenção!

O intestino é também chamado de “segundo cérebro”. O órgão concentra a maior quantidade de serotonina, substância responsável pela sensação de bem-estar.

Além disso, as fibras são consideradas cardioprotetoras, pois auxiliam na redução da pressão arterial e na diminuição do colesterol. Também desempenham função no controle da diabetes e evitam a constipação.

Uma dica para aumentar o consumo é comer as frutas com a casca sempre que possível e não coar sucos. Você pode também utilizar farinhas e sementes nas preparações de receitas. 

Como suplemento para idosos, o indicado é o Psyllium e o Fosfiber, que são fontes de fibras que ajudam a regular o intestino.

6. She She Comfort

As infecções do trato urinário (ITUs) são as infecções mais frequentes na terceira idade e, ao mesmo tempo, com maior prevalência em mulheres devido à anatomia do corpo feminino.

O She She Comfort foi formulado para quem sofre do problema e tem que suportar as consequências de ITUS, que refletem em dor, ardência e urgência para urinar.

Cranberry em pó, vitamina C, zinco, selênio e vitamina E fazem parte da composição. Essa união de ingredientes age sinergicamente para prevenir e tratar ITUS e, ainda, favorecer o aumento da imunidade.

As proantocianidinas, presentes no cranberry, têm sido associadas à prevenção da adesão da principal bactéria causadora de ITU, a Escherichia coli, à camada tecidual que recobre grande parte do trato urinário.

Estudos demonstram que o cranberry é capaz de potencializar a ação dos antibióticos utilizados no tratamento de ITU e sugerem que a D-manose, o açúcar da fruta, é  eficaz no tratamento da cistite aguda.

Vitamina C, vitamina E, selênio e zinco ajudam a deixar a imunidade em dia, já que atuam como antioxidantes no organismo e estimulam o sistema imunológico. 

7. Luteína e Zeaxantina

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a causa mais comum de perda da visão em pessoas acima de 50 anos. Ela é uma doença que ocorre em uma parte da retina chamada mácula e que leva a perda progressiva da visão central. 

O suplemento de 6 mg de luteína e zeaxantina já é interessante para redução do risco de degeneração macular, de acordo com um estudo. A Ocean Drop oferece 12 mg dos dois pigmentos carotenoides para a saúde dos olhos.

Quer saber mais? Acesse: LUTEÍNA E ZEAXANTINA: O QUE É E PARA QUE SERVE

Gostou das informações?

Impressionante como o suplemento alimentar para idoso pode trazer diversos benefícios para a saúde, né? Para se tornarem ainda mais efetivos, escolha marcas confiáveis!

A Ocean Drop e a Bloom Bits oferecem produtos certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com produtor reconhecido. Quanto ao custo x benefício, confira a seguir:

O Psyllium em pó sai menos de R$ 1,97 ao dia e o DHA de Algas menos de R$ 2,81 ao dia!

O Cálcio de Algas da Ocean, com absorção até 30% maior que outras fontes, custa só 3x de R$23,00!

suplemento alimentar para o idosos: heart box
suplemento alimentar para o idosos: cálcio de alga

É possível usufruir dos benefícios do Suplemento de Magnésio Marinho  gastando R$ 1,32 por dia! 

Já pensou em ter o Incrível Fosfiber, composto por 6 superalimentos ricos em fibras, por R$ 2,15 ao dia? 

suplemento alimentar para o idosos: magnésio marinho
fosfiber

O She She Comfort da linha Smart Blends sai por menos de R$1,65 por dia ou R$3x de 33,00 para 2 meses!

Conheça a linha completa entrando no nosso site!

Caso tenha ficado alguma dúvida, nossas nutricionistas estarão disponíveis para ajudar você através dos comentários! Para ficar por dentro de mais assuntos como esse, continue acompanhando o nosso blog!

Referências

Ficou com dúvida?

Tire suas dúvidas que iremos responder o mais rápido possível