Atualmente o mercado de suplementos está em alta. Isso se deve a uma gama de fatores, como maior preocupação com a saúde, dificuldades em manter uma alimentação equilibrada e o desejo de um corpo mais bonito.

Cada um com suas promessas, os suplementos podem oferecer muitos benefícios, e estão disponíveis para consumo de diversas maneiras! Mas, afinal, qual vence a batalha? A suplementação natural ou a sintética?

Round 1 — Fontes

Os suplementos sintéticos são produzidos por meio de processos químicos industrializados. Sua matéria-prima não é oriunda de origens biológicas, mas de reações entre os componentes. Com isso, grande parte deles tem um impacto muito negativo no meio-ambiente, já que utilizam processos não sustentáveis.

A suplementação natural, por sua vez, tem como foco um público mais conscientizado, que exige alimentos sustentáveis. Assim, seus produtores investem bastante para que seus processos de fabricação não causem impactos ecológicos.

Spirulina e Chlorella, por exemplo, são algas muito utilizadas em suplementação natural. Elas são produzidas em um ambiente super controlado, sem nenhuma exploração de recursos naturais, o que torna seu cultivo totalmente sustentável!

Além disso, é possível administrar o processo para garantir que nenhum animal seja explorado durante a fabricação. Essa preocupação certamente não atinge os grandes produtores de suplementos industrializados, mas deveria ser uma preocupação de quem consome suplementos.

Vencedor: suplementação natural!

Round 2 — Absorção de vitaminas e minerais

Os suplementos artificiais, por serem produzidos por meio de reações químicas industriais, não têm as mesmas propriedades das fontes biológicas, e isso acontece por diversas razões. A primeira dela é a conformação das moléculas.

As reações bioquímicas do nosso corpo ocorrem de forma semelhante a um quebra-cabeça. Uma molécula deve ser reconhecida por outra para ter seus efeitos: o encaixe perfeito garante sua eficácia máxima.

Devido à evolução das espécies, nosso corpo reconhece melhor moléculas de origem vegetal e animal, pois se assemelham ao nosso alimento. Os processos químicos industrializados ainda não são capazes de mimetizar essas moléculas perfeitamente, então as vitaminas sintéticas sofrem problemas nesse quesito e não são absorvidas perfeitamente pelo organismo.

Vencedor: suplementação natural!

Round 3 — Ação no organismo

As indústrias de suplemento induziram as pessoas a um erro: acreditar que as vitaminas e minerais são tudo que o corpo precisa. Na verdade, a maior parte das vitaminas precisam também de cofatores e outras enzimas para exercer sua ação total.

O ácido ascórbico (vendido como vitamina C), por exemplo, é somente uma parte da molécula. A vitamina C de verdade tem uma série de outros componentes, como:

  • rutina, que também fortalece o sistema cardiovascular;
  • bioflavonóides, que são antioxidantes poderosos;
  • fatores K, J e P, que auxiliam na coagulação do sangue;
  • tirosinase;
  • ascorbinogênio.

 

Portanto, optando por um suplemento sintético em vez de um natural, você acaba não obtendo os benefícios prometidos pela vitamina.

No caso dos naturais, como as moléculas são retiradas diretamente de fontes vegetais e não sintetizadas, a vitamina é oferecida em sua totalidade no suplemento. Dessa maneira, todos os componentes serão absorvidos e os benefícios oferecidos serão completos.

Vencedor: suplementação natural!

Round 4 — Facilidade de encontrar

Como são mais difíceis de produzir, não são muitos os fornecedores que têm uma linha de suplementos naturais. Assim, várias pessoas acabam optando pelos sintéticos, pois não encontram disponível na farmácia uma suplementação natural de qualidade.

Por outro lado, a internet tem crescido cada vez mais. Muitas empresas sérias e comprometidas estão surgindo online e você poderá obter ótimos produtos sem sair de casa.

A Spirulina e Chlorella são ótimos exemplos. Com a internet, ficou mais fácil encontrar fornecedores que colocam a saúde antes dos lucros.

Entretanto, como o quesito é a facilidade e não a qualidade, o vencedor aqui é o suplemento sintético. Mas lembre-se: vale a pena buscar um pouco mais se for pela sua saúde!

Round 5 — Preço

Fazer suplementos naturais ainda é muito caro. Isso porque não existem ferramentas completas para evitar pregas e para controlar os processos biológicos dos animais.

Se esses fatores fossem eliminados, a produção ficaria muito mais barata. Porém, tudo é questão de perspectiva.

Infelizmente, ao optar pelos sintéticos, é possível que muitas vitaminas não tenham nenhum efeito. Dessa forma, você tem uma falsa sensação de nutrição, acreditando estar fazendo um ótimo investimento.

Assim, quando analisamos o preço isolado, os vencedores são os sintéticos. Entretanto, se considerarmos o custo-benefício, os naturais serão a melhor escolha. Afinal, caso contrário você poderá passar anos pagando por cápsulas e pós solúveis que não acrescentarão nada relevante à sua alimentação.

Round 6 — Superalimentos

Você já ouviu falar dos superalimentos? São aqueles alimentos com ótimas propriedades e altos níveis de vitaminas, minerais e fitoquímicos. Eles são tão poderosos que substituem qualquer suplemento sintético em termos de nutrição.

O açaí, por exemplo, contém praticamente todas as vitaminas que precisamos e ainda fornece grande quantidade de gorduras boas. Outros alimentos, como o tomate, são capazes de retardar ligeiramente o envelhecimento, entre outros.

Mas atenção! Comer apenas superalimentos, sem fazer um balanço adequado, não faz bem. A gente precisa de riqueza na nutrição. Por isso, os suplementos naturais são uma ótima pedida, pois podem ser inseridos na alimentação diária em vez de substituir refeições.

Dois exemplos de superalimentos que fornecem diversos nutrientes em pequenas doses são as algas Spirulina e Chlorella. Elas fornecem toda a quantidade de vitaminas do complexo B, C e E que o nosso organismo necessita, e ainda complementam a alimentação com diversos outros nutrientes essenciais para manter a saúde em dia!

Vencedor: suplementação natural

Round 7 — Propriedades farmacológicas

Muitos suplementos naturais têm em sua composição vegetais com propriedades fitoterápicas super efetivas.

A Spirulina, por exemplo, é rica em arginina, um aminoácido responsável por estimular o sistema circulatório e transportar os hormônios para todas as regiões do corpo.

O goji berry — queridinho da vez — também contém substâncias capazes de ajudar a evitar o câncer e controlar alguns processos inflamatórios do organismo. Os suplementos sintéticos, entretanto, não têm outras propriedades além da suplementação específica para a qual foram produzidos, sendo que muitas vezes nem os benefícios básicos anunciados realmente estão presentes nos compostos sintetizados industrialmente.

Vencedor: suplementação natural

Placar final: suplementos naturais 5 x 2 sintéticos

Por que a suplementação natural é melhor e mais eficaz?

O ganhador da batalha foi a suplementação natural!

Portanto, apesar da divulgação e do marketing intenso das fabricantes de suplementos artificiais, essas pílulas estão longe de satisfazer o desejo dos consumidores e mostrar reais benefícios para a nutrição diária.

Por isso, é essencial pensar muito bem antes de elaborar sua estratégia de complementação nutricional. Caso contrário, você pode acreditar que está saudável quando na verdade está carente de vitaminas e minerais.

Assim, na hora de escolher entre o suplemento sintético ou natural, não caia na propaganda dos grandes laboratórios de multivitamínicos. Invista em soluções que disponibilizam tudo aquilo que a natureza já fornece!

Quer conhecer a melhor linha de suplementos, com algas recomendadas por diversos estudos científicos?

Visite nosso site e mergulhe no universo das algas!

Ainda está em dúvidas? Confira nossos outros artigos no blog da Ocean Drop e decida se ainda vale a pena investir nos sintéticos, ou se é hora de partir para a suplementação natural!